RSS

Arquivo da tag: Economia

Petrobrás e o Pré-sal !

Continuo muito intrigado e até meio indignado com o que pode ser a maior falácia do Brasil das ultimas décadas.

Li cuidadosamente, em O Valor de 6 de março de 2014 , matéria paga da Petrobrás com o título : “Resultado Petrobrás 2013 e Novo recorde do Pré-sal : 412 mil barris de Petróleo por dia . Planejamento estratégico 2030 e Plano de Negócios e gestão 2014-2018”

Pois bem, acho que mesmo lendo mais de uma vez não entendi o conteúdo quantitativo e por conta deste entendo que o conteúdo qualitativo ficou totalmente prejudicado.

Vejamos:

  1. O pré-sal foi descoberto e anunciado com pompa e circunstância e mais uns R$ 220 Bi do BNDES entre 2007 e 2008 no final do governo Lula.
  2. A matéria aponta que temos 21 poços de pré-sal de alta produtividade. E indica que estes poços fazem parte do sucesso de R$ 23,6 Bi de lucros apurados em 2013 ( e não a venda de ativos que consta do relatório anual e monta R$ 23,4 Bi e também por coincidência em 21 operações estruturantes !). Oras, ao que se sabe não existe ainda tecnologia para produção em escala do verdadeiro pré-sal e este petróleo ( que existe em outras partes do mundo ) ainda não se tornou economicamente viável. E cada poço dos 21 na média produz 20 mbd.
  3. A produção do ano de 2013 média foi de 2539 mil  bpd , logo o pré-sal já é responsável por 0,016  % do total da produção da Petrobrás em menos de 7 anos do seu anuncio ? Mas recentemente ouvimos que era 16%%? Mas, ainda conforme a matéria, se a produção cresceu em 11 % desde 2006 podemos entender que em 2006 nossa produção na média era de 2259 mil mbd e, portanto o Brasil já deveria estar produzindo pelo menos 132 mbd de pré-sal em 2006? A conta não fecha, ou o petróleo da plataforma marítima tradicional perdeu produção nos últimos 7 anos.
  4. Reafirma a Petrobrás que sua produção irá crescer, em 2014, 7,5 % ou algo como 190 mbd  e para tal termos 9 nova plataformas que acrescentarão 1 mbd de produção . Devemos entender então que as 9 plataformas entrarão em operação na média entre julho e agosto e só produzirão meio ano. Se 9 plataformas acrescentam 1 mbd de produção , cada plataforma deve produzir 110 mbd  ou 5 vezes mais do que a média dos 20 poços que fazem nosso pré-sal um sucesso ?
  5. As novas plataformas de produção recém-inauguradas ou a inaugurar levam os números P55, P58, P62 e P63 e são todas encomendas de 2008 a 2009 e, portanto para petróleo de águas profundas, mas ainda não para o pré-sal.
  6. A base estratégica é de chegar a produção de 4000 mil mbd, ou 4 milhões de barris por dia. Isso requer crescer mais 46 sobre o projetado para 2014.  Ou aproximadamente mais 12 plataformas tão produtivas quando as novas de 2014 ou talvez mais 60 poços do Pré-sal.
  7. Investimentos para tudo isso , prometem , serão gerados da própria geração de caixa da Petrobrás, e montam para o PNG 2014-2018 até US$ 220 Bilhões.

 

Com tanta projeção, algo confusa para nós leigos em relatórios financeiros de resultados anuais, e muito mais leigos em petróleo, só posso concluir que fiz bem em vender as ações da Petrobrás, ainda em 2010, ações que comecei a investir, por acreditar, em 1985 como jovem recém-formado em economia e membro de um clube de investimento de aprendizado.

Outra conclusão é que se eu pudesse acreditar que os números acima fazem sentido e as projeções sejam realistas, ao preço atual na Bovespa eu deveria voltar a comprar ações da Petrobrás.

Outra conclusão é que os resultados prejudicados por políticas equivocadas de preço e distribuição de gasolina e outros derivados, como ação de contenção de inflação, não aparecem nas explicações públicas do lucro frustrante da outrora gigante do orgulho nacional.

Outra conclusão é que em adição ao que já foi emprestado para a Petrobrás até 2012 pelo BNDES depois dos aportes do tesouro, ainda restam mais US$ 220 bilhões. Alem destes devem existir investimentos de parceiros em até outros US$ 63 Bilhões.

Ultima promessa a ser cumprida e cobrada é de que em 2018 a produção do pré-sal representará 52% da produção de Petróleo total da Petrobrás.

Parece-me que não existem mais limites para as falácias e para o embuste aos investidores incautos.

Não, eu não voltarei a comprar ações da Petrobrás enquanto eu não entender muito bem os números que não fecham.

Se alguém souber me explicar os números acima expostos e me comprovar que existe sim tecnologia para produção econômica do verdadeiro pré-sal, sejam dos 412 mbd de hoje sejam os 2080 mil mbd prometidos para 2018, por favor, entre em contato que ficarei imensamente grato pelos esclarecimentos que espero sinceramente existam.

Aos portadores de ações da Petrobrás, meus melhores augúrios para que as perdas fiquem por onde estão.

Até que isso ocorra permaneço intrigado e indignado.

Boa Sorte Brasil!

 

Marcos C Ribeiro

 
 

Tags: , , , ,

Contabilidade Criativa

O mais novo nome para malabarismos contábeis que tornam opaco o resultado das contas publicas brasileiras.
Estamos em anos onde a transparência é o termo mais utilizado para expressão da realidade , ou da verdade quantitativa ou qualitativa , da sinceridade nas relações entre CNPJs ou entre pessoas . Transparência como qualidade de poder ver através , sem distorções e sem alterações de cores ou imagens que estão atrás do anteparo .
este anteparo no caso de resultados sempre foram relatórios economico financeiros, o balanço , saldos de fluxos de caixas , geração líquida de caixa etc…
transparência nos resultados que afetam investidores ou acionistas na sua capacidade de discernir , julgar, avaliar e quem sabe influenciar nas decisões e destinos da sociedade , no caso de uma SA , capital aberto ou fechado , ou uma Ltda , um nucleo de pessoas em comunidade , uma nação ou país , uma sociedade !
Empresas que foram pouco transparentes com seus acionistas provocaram grandes disturbios nas bolsas de valores e na vida de seus investidores . Casos antológicos como ENRON , que fecharam auditorias consagradas e geraram novas leis de controle de expressão e comunicação de resultados , entre outros controles , como a famosa Sarbanes & Oxley nos USA , SOX para os íntimos.
No Brasil a CVM controla , estimula e gerencia a expressão da realidade dos resultados das empresas listadas em bolsa. Temos nossas leis para isso. A famosa lei 11638/08 que é muito semelhante ao famoso IFRS ( International Financial Reporting Standards) , implementada desde 2009 em diante trouxe melhores visões dos resultados das empresas obrigadas a seguirem esta nova lei , ou seja , resumindo , trouxe transparência para acionistas e investidores.
O nosso governo desde que liderado pelo PT , do Lula até a Dilma , que só foi eleito pela carta que se comprometia a cumrpir contratos , isto desde 2002 , e seguir diretrizes básicas da boa gestão da economia e das finanças publicas , isso desde 2002 !! O mesmo partido que foi contra mas perdeu e hoje deve seguir as normas da lei de responsabilidade fiscal que evitou muitos desvarios de prefeitos e governadores até hoje.
Sim , este governo PT que tem aumentado sem controle gastos publicos , gastos de custeio , que promete e não cumpre os investimentos de PAC 1 e PAC 2 em infraestrutura , este governo que gasta mais do que arrecada , que financia obras e empreendimentos questionáveis via BNDES ( inclusive nas bolívias e venezuelas da vida !) desde 2008 ( não é mera coincidência ser perto da eleição da Dilma) vem alterando os bons princípios contábeis de contabilidade e resultados das economias e finanças do Brasil . Belo exemplo ! Seja via contabilidade fiscal ou não as empresas e os cidadãos são mobilizados e regulados por leis que garantem transparência cada vez mais em suas declarações de renda e de resultados.
A Contabilidade pública do governo federal por sua vez , com a imposição e anuência de nossos grandes ministros e ortanto e conseguinte com o de acordo da presidência tem de forma crescente alterado os resultados economico/financeiros de ano após ano.
Só agora a imprensa veiio a publico e começou a desvendar em parte esta , talvez fraude , mas no mínimo , falta de transparência e geração de confusão na leitura e avaliação da performance economica do governo. Isso afeta a própria avaliação da dívida pública, e seus impactos nas finanças públicas. Pior , tudo leva a crer que com manobras de transferências não recomendáveis entre Tesouro e BNDES entre outros estamos mascarando o deficit fiscal real e muitos outros números que iriam expor a forma errática e improvisada com que temos tratado a questão da economia do país.
Como disse hoje na Jovem Pan , nosso ex presidente do BC , Gustavo Loyola , estamos comentendo um conjunto de “pequenos homicídio” institucionais diariamente e usando da Contabilidade Criativa para escondê-los ou ao menos ganharmos tempo para evitar melhor avaliação que ponha em cheque uma pretensa liderança do Brasil nos ultimos anos como o país que melhor se saiu da crise de 2008 e ainda melhor tem promovido seu desenvolvimento .
O Pibinho de 2012 , o talvez PIB 2013 , a Inflação real de 2012 , a inflação crescnete em 2013 , nossos saldos de balança comercial decrescentes, nosso crescimento de custeio, falta de investimentos de infra estrutura que oneram o custo Brasil , nossas facilidade de isenção fiscal apra áreas obsoletas da industria que sobrevive de subsídios e desonerações , ou seja a total perda de produtividade dos setores e portanto da economia estão aí para finalmente desmascarar o que a Contabilidade Criativa tenta esconder .
Felizmente não somos e não seremos uma ” Argentina ” que cala a imprensa cada vez mais , esconde as mazelas de suas economias , mente acintosamente sobre sua inflação interna e sua regressão como nação . Por mais que o PT tente não seremos !
Que 2013 traga de fato mais transparência para todos os anteparos opacos que escondem e protegem a irresponsabilidade de por aperder mais de 20 anos de luta para tornar o brasil diferente do que foi até 1990.
Contabilidade Criativa é no mínimo anti-ética fruto de um grupo que se sustenta e pereniza aético !

 
Deixe um comentário

Publicado por em 09/01/2013 em Contexto, Economia

 

Tags: , ,