RSS

Arquivo da categoria: Filosofia

Reflexões de Final de Ano – Ou seria de Ano Novo

O que me incomodou novamente neste final de ano , na perspectiva do novo ano , foi pensar nos conceitos que temos, ou deveríamos ter, de tempo , ao menos mais presentes em nosso dia a dia .

Já diria Gilberto Gil : ” Se oriente rapaz , pela rotação da terra em torno do sol !” – Bem este é o Cronos , famoso e cotidiano que em postagem recente no FB e LinkedIn Carlos Drumond de Andrade comenta ” quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias , a quem deu o nome de ano foi um indivíduo genial .”

Este tempo nos prende ao relógio e ao calendário , às agendas , e a perspectivas de renovadas esperanças a cada 365 dias (às vezes 366) , mas carregadas de planos e perspectivas e planejamentos e projeções , cálculos que, por vezes, aumentam nossos sentimentos de vitórias ou frustrações no novo ciclo. Por isso, o contra ponto de Ruben Alves também postado , claro que depois de algumas décadas de vida e carregado de reflexões de vida e filosofia nos disse : “Já não tenho tempo … não quero ver os ponteiros dos relógios …meu tempo tornou-se escasso …” como se o tempo tivesse algo mais que o Cronos a ser considerado . Sim, as jabuticabas chupadas até o caroço … “o essencial faz a vida valer a pena.” Cronos é o tempo Quantitativo e sempre será até que a relatividade de uma perspectiva além, talvez na sincronicidade de um universo ou plano, desconhecidos, nos mude a referência da quantidade de horas, dias , meses e anos.

De outro lado , ainda que involuntariamente, Caetano Veloso em sua oração ao tempo coloca muito bem que o ” compositor de destinos e tambor de todos os ritmos , é tão inventivo e parece contínuo e portanto é um dos deuses mais lindos..” diz ainda ” prazer legítimo quando o tempo for propício ,… acredito ser possível reunirmo-nos em outro nível de vínculo…” . que tempo fala Caetano senão um tempo que não é Cronos ? Seria o tempo oportuno , momento certo , mesmo que medido no Cronos , transcende em significado. Daí se chamar também Kairós o tempo de Deus . Este é um tempo Qualitativo.

O tempo de Deus tem duas menções chave na Bíblia . A primeira em Eclesiastes 3:1 ” Há um momento certo para tudo , um momento para cada atividade debaixo do céu .” Outra : “um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia” (2 Pedro 3:8).

É neste tempo qualitativo que cabe considerar as novas opções de Ruben Alves como ” caminhar perto de coisas e pessoas de verdade , desfrutar deste amor absolutamente sem fraudes ..” ou como Caetano , ” de modo que meu espírito ganhe um brilho definido , e eu espalhe benefícios ” … assim seja ?!

Aprendi então a 3a dimensão do tempo para considerarmos , o AIón , de Platão , a imagem móvel da eternidade , essencial , para mim uma expressão da eternidade prometida e essência da eternidade de Deus . Dualismo entre mundo inteligível e mundo sensível . O tempo como uma aparência mutável e perecível de uma essência imutável e imperecível – eternidade. É o tempo que pode ser rápido quando tem muito o que fazer e está envolvido, ou passa devagar porque é entediante ou está simplesmente comtemplando o belo .

Daí não poderia deixar de lembrar de Santo Agostinho , subjetivo e filosófico mas base para psicológico. Os tempos são três: presente das coisas passadas (memória – sentimentos e o que carregamos no consciente e inconsciente e afeta nossos comportamentos e decisões), presente das coisas futuras (sonhos e planos para ano novo) e presente das coisas presentes(quase efêmero pois em poucos minutos fica no passado).

Então , no final deste ano , reforcei minhas convicções que aqui compartilho com quem conseguiu chegar ao fim deste texto :

O Cronos sim nos aprisiona e por muitas questões sociais não podemos nos livrar de todo , logo vamos conviver com ele de forma leve , a mais leve possível e menos estressante possível e com o uso do tempo do eu , com meditação e contemplação ( mesmo caminhando no parque !) . Neste estado, nos sentimos íntegros e equânimes, proativos em lugar de reativos, e confiantes ao invés de hesitantes ou apreensivos. Quanto mais praticamos exercícios desta natureza, mais nos tornamos aptos a estruturar o tempo e viver na sincronicidade. ( 4a conceito do tempo na antroposofia) .

Que todos saibamos fazer o nosso tempo em 2022 e sempre um tempo oportuno ! Kairós . No meu caso também , e te convido , Em sincronia com a vontade de Deus que também por definição é Amor ! Ágape! porque a melhor definição do amor perfeito de Deus , o Senhor do Kairós está em I Cor 13 onde Paulo escreveu e te convido a ler no tempo oportuno , porque a essência eterna Aión se expressa : ” Três coisas ,na verdade , permanecerão : a fé , a esperança e o amor , e a maior delas é o amor. “

A fé e a esperança nos movem para o futuro sempre e votos de Feliz Ano Novo com renovação da Fé por dias melhores e esperança neste porvir não faltam .

O amor , ágape , é o que pode de fato promover na sociedade a concretização do porvir esperado com fé e este Amor é eterno é a essência do Deus e é eterno, logo, Amor é Kairós e está no Aión !

Feliz Ano Novo e assim seja ! abraços

Marcos C. Ribeiro

Ref : Oração ao Tempo – Caetano Veloso

Oriente – Gilberto Gil

O Tempo – Carlos Drumond de Andrade

O tempo e as Jabuticabas – Ruben Alves

 
Deixe um comentário

Publicado por em 30/12/2021 em Filosofia, Geral

 

Tags: ,

16 de agosto – Dia do Filósofo

Eu não sabia mas hoje , via CBN , soube que 16 de agosto se comemora o dia do filósofo. O entrevistado foi ninguém menos do que Mario Sergio Cortella . Ele mesmo não sabia porque escolheram este dia para homenagear o filósofo. Segundo Cortella a semana da filosofia  instituída pela Unesco seria a 2a semana de novembro. Mas esta data então me fez pensar, junto com a entrevista do Cortella , sobre o tema que tanto me encanta há muitos anos .

Filo = amigo ; Sofia = conhecimento ! Instituído o nome por Sócrates ,na Grécia antiga , ser amigo do conhecimento é realmente algo que me agrada.

Houve há muitos anos uma iniciativa primeira , de duas , na Escola de Marketing Industrial , um curso para casais de amigos da EMI , com o tema Aprendendo a Filosofar . Os nossos mestres foram o saudoso amigo Arthur Hipólito de Moura e o amigo de muitos papos filosóficos , até hoje , Jean Bartoli . Foram muitos sábados inteiros imersos no universo da filosofia. Já gostava do tema mas depois disso nunca mais parei !

O graduado em Filosofia pode ser um professor , bacharel em filosofia . Mas para ser filósofo não precisa ser professor de filosofia . Segundo o próprio Cortella quem se dedica a pensar a realidade e os contextos e nossa própria existência , de forma regular , é um filósofo! Pois bem , hoje também é meu dia ! Sou filósofo há mais de 15 anos por opção consciente e pessoal e em parte , alem de muito boas conversas com muita gente, deixo um pouco deste exercício de pensar a existência humana , nossa existência na nossa realidade ( se é que existe uma unica realidade , não é ?) , nos posts do Notas Livres ( por isso também se chama Notas Livres) , nas provocação do Face Book e de forma mais reservada ao âmbito profissional , também no LinkedIn.

Claro que depois de Antonio Damásio decretar o erro de Decartes ( penso , logo existo ficou limitado e incluiu o sinto , logo existo) , e Goleman identificar a inteligencia emocional , creio que filosofar hoje abrange certamente um forte vínculo com o racional mas com espaço crescente para as emoções que nos levam a entender os cenários , contextos e deles entender onde , como e porque existimos. Acontece que nesta forma de considerar a integralidade do ser , integralidade do cérebro humano e nós como seres humanos integrais , portanto filosofando de forma integral temos agora o terceiro elemento , latente  mas por muitos anos dormente : Danah Zohar e Ian Marshall nos trazem a a Espiritualidade ( não misture com religiosidade por favor ) com a Inteligencia Espiritual .

Entendo que desde o terceiro elemento ter chegado ao meu conhecimento o exercício de filosofar ficou ainda mais emocionante e arrebatador , agora como ser humano completo e integral : corpo , mente e espirito e com cérebro racional , emocional e espiritual .

Bem , para comemorar o dia de hoje fico por aqui mas deixo a provocação de alimentar o gosto pelo conhecimento , buscando o desafiador entendimento de nossa existência e nossa possível integração alem do chão que pisamos neste significativo , mas insignificante planeta !

Feliz dia do Filósofo !

 

Abraços

 
3 Comentários

Publicado por em 16/08/2018 em Filosofia

 

Tags: ,

1a Reflexão de 2018 !!

O ano calendário que comemoramos na passagem de 31 para dia 01 de janeiro é uma convenção finalmente instituída lá pelos idos do século 15 , se não me engano. Teve varias correções . Uma delas ficou pendente : se a contagem do ano 1 a era cristã seria o ano de nascimento de Jesus Cristo , esqueceram do ano Zero e ainda por cima por erros de cálculos das datas pseudo históricas de Mateus e Lucas . Na real segundo inclusive o Papa Bento 16 assumiu, estaremos hoje entre o ano de 2022 e 2023…. O que importa ?
Das convenções ficam os balanços financeiros, a data de encerramento do ano fiscal para nosso imposto de renda , o fechamento do ano de governos municipais , estaduais e federais e seus balanços de realizações ou de omissões ou de descalabro com alguns estados quebrados …
Para nós , um dia depois do outro , fora o simbolismo, não deve fazer diferença alguma , exceto para aqueles que coincidentemente fazem aniversário. Aliás de uns poucos anos para cá nos nossos aniversários recebemos votos de Feliz Ano novo . Este sim, um Ano Novo, de cada um de nós . O tempo cronológico nos prega peças , inclusive quando não atentamos para suas marcas na nossa imagem refletida em espelhos. Mas precisamos de símbolos e rituais para manter viva a nossa identidade cultural. Assim sendo , mesmo já começado : Feliz Ano Novo , e um ótimo 2018 que hoje, dia 2,  começa para valer !! 


PS: Não espere o carnaval passar para se dar conta de que o ano começou !

 Marcos C Ribeiro
 
Deixe um comentário

Publicado por em 02/01/2018 em Contexto, Filosofia

 

Tags:

Reflexões de Final de ano !

Reflexão de final de ano ! Mais uma !

É comum dizerem que a vida é feita de escolhas. E destas há que se responsabilizar pelas suas consequências. Isso é uma verdade , mas não completa . Ainda assim cabe sempre a possibilidade de nos arrependermos das escolhas feitas , em algum tempo , e até nos arrependermos de escolhas feitas no futuro , porque ainda não vimos motivos de arrependimento ! O fato é que o arrependimento amplia a possibilidade do perdão e o perdão amplia a possibilidade da reaproximação , reconciliação, renovação, e outras formas de ressurreição . Sim nascer de novo !
A questão então então é como lidar com escolhas feitas pelos outros , das quais não participamos e nem fomos , digamos , envolvidos no processo da decisão e da escolha, mas que nos afetam , nos trazem consequências diretas e indiretas . Não nos dá o direito de mudar as escolhas, nem de não aceitá-las , porque estão feitas e se tornaram fatos.
Creio que este ponto é uma complexidade significativa da vida de cada um e não tem sido tratada devidamente porque estamos no tempo da individualidade , do direito das escolhas e assim do direito de uma parcela da liberdade. Aquele limite da minha liberdade que impõe considerar o outro não está sendo lembrada. Em parte alguma do mundo , da sociedade e das suas células mais ínfimas.
Não me isento do processo mas por agora me imponho a reflexão. Sofro com algumas escolhas feitas pelos outros que me afetam e nada posso fazer mas somente me conformar e conviver com elas . Faço sofrer aos outros por escolhas que fiz, não talvez , mas certamente por não ter levado nada disso em consideração.
Sim , a vida é feita de escolhas , e todas elas trazem e trarão alguma consequência. Ainda assim penso que o exercício da misericórdia , e do perdão serão sempre a unica solução para todas as consequências desagradáveis e não pensadas. Por isso a misericórdia é um dom divino e o perdão o exercício de nós exigido em qualquer tempo e em “quase” qualquer religião.
Sim , a vida é feita de escolhas e cada vez escolhas mais complexas .
Feliz Ano Novo !

 
1 comentário

Publicado por em 23/12/2017 em Filosofia, Geral

 

Tags: ,