RSS

Arquivo da categoria: Geral

O modelo de Gestão Anglo-saxônico pragmático seus pontos positivos e negativos.

Comecei este post em 2012 e por alguma razão não encontrei o rascunho mas somente o que postei no LinkedIn em 27 de novembro de 2015 . Por isso resgatei o post do LinkedIn para depois seguir com mais reflexões sobre os modelos de gestão e como a gestão de pessoas vive e sofre neste meio complexo e estressante.

Este é o nome que encontrei como o mais apropriado para denominar o modelo de gestão de pessoas que ainda impera na maioria das empresas no ocidente americano e como sempre bastante copiado aqui no Brasil.
Me surpreendeu o caderno especial do Jornal O Valor em agosto de 2013,  dedicando o espaço grande e significativo para este tema. O tema já voltou varias vezes desde então , e no mesmo tom !

O modelo consiste basicamente em um grupo de três mandamentos clássicos : “Make your numbers” ; “No Escuses”;” No Surprises” !  Sua grande motivação é o sistema financeiro global puxando os valores de ações em Bolsas de valores para resultados crescentes a cada trimestre e estabilidade de resultados a despeito de variáveis e dinâmicas de ambientes externos à empresa e mesmo aos negócios ! Acaba-se caindo no resultado financeiro a qualquer custo e por qualquer meio seja para meritocracias exageradas , seja para mera sobrevivência do executivo desde o nível “C” até o auxiliar de produção !
O modelo Europeu tem suas diferenças mas nem tanto. O modelo Francês carrega um viés socializante que amarra o país com seus encargos e suas regras que fazem o impasse da dedicação e comprometimento versus a quase estabilidade garantida pela legislação . A Espanha é terrível mas hoje carrega novamente níveis de desemprego do século passado quando ainda não estava inserida na comunidade.
O Brasil viveu até 2013 o pleno emprego teórico e apagão de mão de obra que muitos ainda tentam negar , seja pela taxa de desemprego seja pela falta de qualificação decrescente e anacrônica. Hoje não podemos mais dizer que existe o pleno emprego, mas é certo que os melhores colaboradores de cada empresa permanece trabalhando e a oferta maior não implica em melhoria de qualidade de pessoas no que tange a competências, experiências e habilidades.
A visão de processo BPMs da vida etc… implica em um bom equilíbrio entre materiais ( informação no caso é material na área de serviços ) , equipamentos ( aqui a qualidade , capabilidade , produtividade intrínseca e fundamentalmente a manutenção da capacidade e da capabilidade sempre negligenciada ! ) e por fim o Ser Humano . As pessoas ! Talentos que queremos encontrar, atrair e depois reter . Talentos no sentido de um nome melhor que recurso ou capital. Talento como seres humanos normais e dentro da normalidade. Não precisa ser ponto fora da curva.
Bem , este é o primeiro post de uma série que pretendo aprofundar .

Bom proveito !
Marcos

PS: este resgate tem a motivação da triste notícia da autofalência da RRDonnelley no Brasil esta semana e com o trato aos seus colaboradores infelizmente confirmando o modelo mais uma vez.

 
1 comentário

Publicado por em 05/04/2019 em Administração, Contexto, Geral

 

Tags: , ,

A ARCA segue trabalhando no tema credibilidade no sistema eletrônico das eleições – Reunião de 16 de março

Seguimos nas discussões e descobertas na reunião do ARCA ( Grupo de Competitividade), nas últimas semanas
Continuamos a pesquisar sobre as urnas eletrônicas e as próximas eleições:
Procuramos pessoas que participaram dos testes de segurança das urnas eletrônicas e totalização dos votos
Os testes feitos sob condições restritivas impostas pelo TSE, mas não justificáveis tecnicamente, revelaram
fragilidades, vulnerabilidades e inconsistências

 

Como parte das sugestões encaminhadas pelos analistas ao TSE para melhoria da segurança, confiabilidade,
legitimidade e representatividade dos resultados do sistema, foi sugerida a adoção de sistema complementar de
impressão de votos, acoplado às urnas, que permita a recontagem dos resultados de cada urna, sem identificar o
eleitor e especificado como fazê-lo, em conformidade com medidas similares adotadas com êxito em outros países.
Em 29 de setembro de 2015 o Congresso Brasileiro, reconhecendo a gravidade do problema, aprovou a Lei 13.165
impondo a obrigatoriedade e universalidade de registro impresso dos votos
Em 5 de fevereiro de 2018 a PGR entrou com pedido de ADI 5889 no STF questionando a constitucionalidade da
Lei
Entendemos que o pedido de ADI não tem efeito suspensivo e enquanto não for julgado, não há motivos ou
justificativas para o não cumprimento da Lei.
Assim, TODAS as urnas devem, para cumprir a Lei vigente, ter dispositivos para impressão dos votos sem
identificar o eleitor.
De acordo com os pronunciamentos do TSE há recursos financeiros suficientes para a adoção do voto impresso
nas próximas eleições.
De acordo com os técnicos consultados, há tempo hábil e suficiente para a adaptação das urnas, incluindo o
dispositivo de impressão do voto sem identificação do eleitor.
O que motiva as dificuldades criadas para a aplicação da Lei que dará mais legitimidade e transparência processo
eleitoral?
No próximo dia 25 de março, 23 movimentos nacionais da sociedade civil organizada promoverão uma
manifestação pública cobrando a aplicação plena da Lei que determina a obrigatoriedade de uso exclusivo da
totalidade de urnas com dispositivos de registro impresso dos votos sem identificação do eleitor.
Em São Paulo, a manifestação ocorrerá às 14hs na Avenida Paulista.
O que você acha disso?

 
Deixe um comentário

Publicado por em 16/03/2018 em Contexto, Geral

 

Tags: ,

Arca segue trabalhando no Tema Credibilidade no sistema eletrônico das eleições.

Seguimos nas discussões e descobertas na reunião do ARCA ( Grupo de Competitividade)  , conforme publiquei na semana passada .  Existe solução técnica comprovada no mercado para melhor segurança e consequente credibilidade e representatividade do nosso voto desde as urnas com solução de voto impresso . Chama-se de 3a geração de urnas e já está aprovada nas ultimas eleições argentinas. Existe a obrigatoriedade do voto impresso na urna ( não na mão do votante mas em impressão para conferência) em lei aprovada no congresso desde 2015 e que está de forma suspeita sob judicie de uma ADIN recente da PGR . Você sabia ? Nossa posição : cumpra-se a lei e com tecnologia adequada e existente para validade das eleições presidenciais já de 2018 e não contestação de quem quer que seja o eleito!  Você concorda ?

 
Deixe um comentário

Publicado por em 09/03/2018 em Contexto, Geral

 

Tags:

ARCA – Um núcleo de competitividade – Uma Tese para Eleições 2018

Existe este núcleo de nome ARCA , que discute a competitividade do Brasil( ou a perda quase irreversível dela nos últimos anos) , no âmbito de país , segmentos da economia e das empresas sejam de industria , serviços ou agronegócio, e eu tenho a honra de fazer parte dele.

Em breve vou compartilhar mais discussões sobre isso , mas hoje , nossa reunião, que ocorre sempre sob o guarda chuva do Instituto de Engenharia em São Paulo , desenvolveu uma tese que é oportuna, dada a vindoura eleição de 2018 para presidente , governadores , congresso e assembleias estaduais. Queremos repercutir esta tese .

Tese sobre o encaminhamento da apuração do resultado das eleições:
1. O histórico do desempenho da empresa venezuelana contratada para apurar o resultado das eleições levanta
suspeitas de sua credibilidade e idoneidade e a representatividade do resultado consolidado;
2. O tempo até a eleição é insuficiente para substituir a empresa;
3. A análise de consolidação da credibilidade do sistema deve ser dividida entre a empresa e o processo, buscando
reduzir as vulnerabilidades inerentes;
4. Os resultados dos testes de segurança feitos em 2017 não cobrem os aspectos mencionados acima, como um
conjunto único e integrado;
5. Há tempo suficiente para implantar um sistema de auditoria de sistemas, independe e suficientemente amplo e
redundante que garanta a efetiva representatividade do resultado;
6. A confiabilidade depende da auditabilidade a qualquer instante;

O que acha ?

Marcos C Ribeiro

 
2 Comentários

Publicado por em 02/03/2018 em Contexto, Geral

 

Tags: , ,

Desabafo de 5a feira de Cinzas !!

Me impressiona o fato de mesmo depois de tantas frustrações , altos e baixos da economia , a já conhecida falta de produtividade brasileira , ainda vemos diariamente na imprensa falada e escrita , desde ontem , 4a feira de cinzas , que agora sim o Brasil começa a andar. Isso me parece um auto engano coletivo permanente . Senão vejamos:
No mundo inteiro nas férias de verão existe um número razoável de pessoas que faz um recesso planejando e calculado de seus trabalhos , seja CLT , Empreendedor , autônomo . Coincidentemente no hemisfério sul isso ocorre no início do ano calendário e próximo de festividades de Natal e Ano Novo. Nada demais.
Enquanto muitos saem de férias , muitos , mas muitos mais ,permanecem trabalhando em suas atividades e eventualmente até em busca de nova colocação de trabalho. A vida continua.
Portanto salvo férias forenses , férias de políticos frouxos no congresso, de alguma casta privilegiada ainda herança do Brasil das capitanias hereditárias, não parou não !!
A unica coisa que ainda pode ser considerada um evento cheio de segundas intenções é realmente o Carnaval , 2 dias úteis semi inutilizados por uma festa sem freios que dá a impressão de ser um divisor de águas. Falácias à parte , sim , mesmo sem ser feriado o Carnaval derruba a produtividade das pessoas e da economia , e empobrece o país mias um pouco a cada ano , ainda assim é um business que no mínimo para turismo transfere renda de outras atividades e até do exterior para a terra do samba .
Só isso !!
Lembrando uma das músicas que evocam este falso espirito brasileiro e do controverso Chico Buarque : ” Vá trabalhar vagabundo , vá trabalhar criatura ! ”

Marcos C Ribeiro

 
2 Comentários

Publicado por em 15/02/2018 em Contexto, Economia, Geral

 

Tags: , ,

A Lei da entropia e Gestão de Negócios e Empresas

A lei da entropia vem da termodinâmica e está relacionada a energia trocada interna e externamente ao sistema em uma mudança definitiva de estado ( exemplo clássico do derretimento de uma pedra de gelo em seu novo estado de líquido e eventual energia necessária , externa para que retorne ao estado sólido , mas nunca mais pela outrora existente energia interior ).
Para outras áreas de estudo esta mudança de estado se refere por vezes ao senso comum de desordem .
A lei da entropia na gestão de negócios ou empresas , mesmo estatais , sugere que toda organização esgota sua energia inicial (interna) em uma crescente desorganização , desordenamento das coisas, que no caso de empresas multinacionais na interferências crescente da matriz na subsidiária , ou no caso das estatais pelas interferências político partidárias . (veja caso Embrapa na FSP de 24.01.18 por A Delfim Neto )
Para evitar o efeito da entropia ( inércia paralisadora por exemplo), eventualmente tentar revertê-lo , ou criar alguma resistência à sua inexorabilidade, há que se criar nova energia , na maior parte das vezes externa ( injeção de capital, restruturação, ou até um reinvestimento interno em mudanças de fundo e de fôlego como programas consistentes e de coerência de longo prazos como capacitação interna para excelência de gestão ). Logo se depender de aporte de capital da matriz no caso de multinacionais ou dinheiro de orçamento de governo o destino da chamada “maldição entrópica” é praticamente certo . Esta maldição no caso de empreendimentos estatais está no seu DNA e ainda não surgiu remédio genético eficiente .

No caso de subsidiárias de multinacionais por vezes o resultado final é o nível de obsolescência atingir o tempo de encerramento de atividades , não antes de varias restruturações e downsizing.

 

Tags: ,

Reflexões de Final de ano !

Reflexão de final de ano ! Mais uma !

É comum dizerem que a vida é feita de escolhas. E destas há que se responsabilizar pelas suas consequências. Isso é uma verdade , mas não completa . Ainda assim cabe sempre a possibilidade de nos arrependermos das escolhas feitas , em algum tempo , e até nos arrependermos de escolhas feitas no futuro , porque ainda não vimos motivos de arrependimento ! O fato é que o arrependimento amplia a possibilidade do perdão e o perdão amplia a possibilidade da reaproximação , reconciliação, renovação, e outras formas de ressurreição . Sim nascer de novo !
A questão então então é como lidar com escolhas feitas pelos outros , das quais não participamos e nem fomos , digamos , envolvidos no processo da decisão e da escolha, mas que nos afetam , nos trazem consequências diretas e indiretas . Não nos dá o direito de mudar as escolhas, nem de não aceitá-las , porque estão feitas e se tornaram fatos.
Creio que este ponto é uma complexidade significativa da vida de cada um e não tem sido tratada devidamente porque estamos no tempo da individualidade , do direito das escolhas e assim do direito de uma parcela da liberdade. Aquele limite da minha liberdade que impõe considerar o outro não está sendo lembrada. Em parte alguma do mundo , da sociedade e das suas células mais ínfimas.
Não me isento do processo mas por agora me imponho a reflexão. Sofro com algumas escolhas feitas pelos outros que me afetam e nada posso fazer mas somente me conformar e conviver com elas . Faço sofrer aos outros por escolhas que fiz, não talvez , mas certamente por não ter levado nada disso em consideração.
Sim , a vida é feita de escolhas , e todas elas trazem e trarão alguma consequência. Ainda assim penso que o exercício da misericórdia , e do perdão serão sempre a unica solução para todas as consequências desagradáveis e não pensadas. Por isso a misericórdia é um dom divino e o perdão o exercício de nós exigido em qualquer tempo e em “quase” qualquer religião.
Sim , a vida é feita de escolhas e cada vez escolhas mais complexas .
Feliz Ano Novo !

 
1 comentário

Publicado por em 23/12/2017 em Filosofia, Geral

 

Tags: ,