RSS

Arquivo da tag: Livre pensar é só pensar ( Millor )

O TEMPO E A VIRADA DE UM ANO – QUAL O REAL SIGNIFICADO?

Tempus Fugit = o tempo passa e passa correndo.
Cronos = O tempo do homem.
O tempo cronológico. (Já dizia Gilberto Gil, “se oriente rapaz, pela rotação da terra em torno do sol!”). Não passa de um tempo marcado que no fundo diz que temos 24 horas por dia e 365 dias por ano para viver a cada ano. Por isso tão importante instar para Carpe Diem! Basta para cada dia o seu mal! Viva cada dia e não pense no futuro. Será possível uma leitura tão literal? Se não se planeja, se não se tem objetivos, se não se tem visão de longo prazo, não se tem previdência, os riscos aumentam e infelizmente a maior parte dos cidadãos que vivem o “deixe a vida me levar, leva eu.” é infeliz, incompleto, via de regra, não realizado e na maior parte das vezes sem perspectiva de uma retomada, pois todo o seu modo de pensar é no aqui e agora. Por isso nosso país não tem tradição de construir poupança na economia do estado, da família e da pessoa.
Acredite, esta é uma das características do executivo (povo?) brasileiro no que foi verificado na pesquisa de cultura empresarial brasileira coordenada nas linhas do Instituto Hofstede e no Brasil conduzido pelo Instituto de Marketing Industrial.
Os povos orientais sempre foram mais voltados ao longo prazo e um sentido mais profundo da vida e do propósito para o qual cada um de nós, e todos nós, existimos.
Bem, a cultura ocidental nos últimos anos ( décadas) tem exasperado o foco no curto prazo , nos resultados de curto prazo a qualquer custo e por qualquer meio ( o que chamo de modelo anglo saxônico pragmático de gestão de empresas , de comunidades , de vida !)
O que falar agora na virada do ano quando 365 dias já foram e os resultados econômicos financeiros serão publicados e nada mais poderá muda-los (exceto certas manipulações como no caso Enron, que não duvidem, ainda persistem!). {ou não haveria tanta resistência em adotar os modelos contábeis IFRS – no caso do Brasil lei 11638}
O que não falar das decisões já tomadas em 2012 cujas consequências já sentimos ainda em 2012 ou vamos sentir em 2013!(estas de 2013 certamente nem pensamos nelas!)
Tudo isso porque aparentemente tudo passa mais depressa e tudo muda mais depressa. Este depressa é real ou uma percepção!? O fato é que muda e segue mudando. O fato é que tudo passa e segue passando. Que desafio seguir compreendendo este processo sem entrar em pânico! Aceitando que assim é , sempre foi , e sempre será. Somente que ocupamos nossas mentes com tantas mais informações e fatos e boatos, julgamentos e impressões, preconceitos e conceitos, que aparentemente as coisas ocorrem como nunca foram. No Cronos sempre foram, mas em nossa mente e nossa forma de nos adaptarmos ao que hoje é e como é, ainda não conseguimos ver que isso é normal e sempre será ! Quebra de paradigma? Paradigma cronológico colocado em cheque nos tempos atemporais de informações e dados virtuais e sem tempo.
Pense que hoje mesmo, a cada menos de 30 minutos, um país do mundo comemorou o Ano Novo desde antes de acordarmos para o dia 31, e todos eles , nós , pensando que este momento da virada é único , nosso, e de mais ninguém ! 24 horas de passagem de ano para todo o planeta.
Andeia , andeia , que o tempo, sem tempo não pode parar !! ( disse em poesia Daniel V da Silva!)
O pior é que é mesmo! Não depende o Cronos e do tempo e da orbita da terra em torno do sol! Depende de não nos conformarmos com este tempo, mas nos transformando com a renovação de nossas mentes!! ( Paulo Apóstolo!)
Kairós = o tempo de Deus! (Já dizia Caetano Velos em sua oração ao tempo, que era para a música um deus, “és um senhor tão bonito quanto a cara do meu filho..).
O tempo da visão poética de Caetano é um deus! Como se ele fosse realmente criador, dominador, cuidador e sustentador de tudo no universo!
No contexto da discussão de hoje, vésperas do Ano Novo de 2012 para 2013 colocam o tema de Kairós para o contraponto do Cronos.
O Kairós é facilmente assimilável e compreensível na nossa visão quando nos conformamos que não temos domínio sobre o tempo e que deus o criador Onipresente, Onipotente e Onisciente tem seu próprio tempo e este é diferente do tempo do Homem.
Como poderia ser. se o Cronos é criação do mesmo Deus? Oras, conforta saber que se contamos os dias para nossas vinganças e ela não vem, quando então aprece que veio é porque Deus conta seu tempo diferente do nosso. Ou seria porque contamos os dias para a consagração da esperança humana de uma vida eterna que não virá conforme escrito nas linhas gregas ou hebraicas do VT ou NT porque ninguém sabe o dia? Nem milenistas, nem Amilenistas ou pré-milenistas. Todos de alguma forma frustrados porque não acreditam que nem o Filho do Homem sabe o dia que virá, como de surpresa vem o ladrão na noite? Ou será que vem individualmente no momento da morte tão aterrorizante até hoje para o ser humano?
Será o sentido de Kairós o tempo de Deus para conforto do Homem?
Acho que é tempo de considerarmos um tempo novo e diferente.
O Kairós de Deus é sim resultado de sua criação maior. É o tempo que o Homem ainda vai sofrer para entender. É o tempo sem tempo. É eterno enquanto dure. É o significado real das sabedorias que aprendemos de criança:
Para Deus mil anos são como um dia e um dia são como mil anos! ( pobre de nós Cronológicos!)
Ensina-nos a contas os nossos dias para que alcancemos coração sábio! (mas queremos aprender mesmo?)
Quanto do tempo interfere em nossa percepção afetiva de fatos do passado em nossa memória? Ou das lembranças de nossos queridos que se foram? Ao longo do tempo não interfere e não deve interferir, pois é parte da eternidade de cada um deles ou daqueles momentos em nossa finitude temporária.
Sejamos mais Kairós na nossa visão de tempo para que o Cronos seja nosso aliado e não nosso inimigo!
Demos tempo ao tempo!

Feliz Ano Novo!!!! Cronos na contagem, mas Kairós na percepção e emoção!

Marcos C Ribeiro

Anúncios
 
2 Comentários

Publicado por em 31/12/2012 em Filosofia, Geral

 

Tags: , ,

Povo brasileiro , um povo limpo !!!

O BRASILEIRO SE LOCUPLETA DE SER UM POVO LIMPO, MAS SERÁ QUE É MESMO…?

O povo brasileiro foi ensinado no inconsciente popular de que é um povo limpo. Usurpando da herança indígena que nos ensinou que tomar banho todos os dias é bom e se a água do rio ou do mar é limpa, faz até bem para a saúde (até D. João VI aprendeu isso!)
Pois bem, em parte isso é verdade. Uma vez que o mercado de sabonetes está preocupado com a provável estabilização do consumo no que foi uma alta de demanda depois das reformas recentes (últimos 20 anos) onde a inflação foi domada, o poder de compra da classe média subiu , a classe média emergente surgiu e assim por diante . Mas como podem as multinacionais conviver com crescimento vegetativo agora? Como justificar para os acionistas em Wall Street que o crescimento geométrico agora virou aritmético simples?
Veja que a pesquisa publicada em O Valor em 5 de novembro de 2012 nos disse que a indústria e o produto sabonete são de uma categoria madura pois já habitam nossos lares em 99% deles !!! Oras se o valor da venda subiu 10% e o volume caiu 1,2 % só pode ser por aumento de preço venda! A inflação corre solta na cesta que o governo não quer medir!
Interessante também saber que a pesquisa confirma nossa herança indígena. O brasileiro toma de 2 a 3 banhos por dia na média !!!!! Acreditem, a impressão que temos no interior do ônibus e metrôs ou subúrbios é ponto fora da curva!!! Mas que fosse um banho por dia, seria a comprovação de que estamos bem acima da média do hemisfério norte e é isso que a pesquisa quis dizer nas entrelinhas. O mercado é bom e promissor. Quanto mais banho mais sabonetes!
Pois bem, mas aí vem o contraponto! E o contraponto na música é tão importante que a Bossa Nova está repleta deles quanto o Jazz e a MPB. E só por isso que temos um interesse especial pelo contraponto.
No final da pesquisa, depois de falar de sabonetes bactericidas, de sabonetes líquidos como novo sonho de consumo da classe média emergente etc. e tal… Vem à realidade!
Higiene é uma questão de educação. Educação de berço, de herança, de formação nas escolas públicas porque higiene é saúde publica e isso tudo é custo para o país, estado e município e, portanto custo para os cidadãos que pagam impostos!
“O hábito do brasileiro de lavar as mãos não é tão desenvolvido quanto o de tomar banhos!” (sic) , disse Adriana Castro , diretora de Marketing da Unilever !”A média do brasileiro é de lavar as mãos 2 vezes ao dia enquanto o ideal é de pelo menos 5 vezes !”
Bem, em se levando em consideração que ir ao banheiro para urinar 3 vezes ao dia deve ser uma média quase crítica e que tomamos ao menos 3 refeições ao dia , café da manhã , almoço e janta e considerando que a maioria não pensa em otimização de custo ou de desperdícios unindo idas ao banheiro concomitantes a tomada de refeições creio que estamos defasados ao menos em 4 lavadas de mão por dia !
Num país onde educação se confunde com política demagógica, onde lavar as mãos não é comum (observe quantos lavaram as mãos ao sair de um banheiro público – observe nos banheiros de aeroportos onde só os de classe média podem frequentar!), onde a maior parte ainda não tem esgoto tratado , onde obras de coleta e tratamento de esgoto é tratada como perda de tempo por políticos que não gostam de ver enterradas as verbas bem aplicadas ….onde obras de infraestrutura se confundem entre saúde públicas , tratamento de água e esgoto e pistas de automóveis para acessos aos Itaquerões da vida !!!
Feliz Ano Novo, mas, por favor, lave as mãos ao menos 5 vezes por dia .Use sabão líquido brasileiro se assim for melhor e lembre-se de que nos velhos tempos até sabão de Côco resolvia , mas esquecemos disso !

Abraços

Marcos

 
2 Comentários

Publicado por em 31/12/2012 em Contexto, Economia

 

Tags: ,

Industria de sabonetes e a cultura Brasileira

Materia base : O Valor de 5 de novembro de 2012
As vendas de sabonetes andam de lado e até caíram um pouco no país onde a média pesquisada indica que o brasileiro toma de 2 a 3 banhos por dia !!!
Como pode acontecer ?
Bem , recentemente pudemos ler discussões interessnates onde nossa ancestralidade indigena explica a questão dos banhos.
Por outro lado nossa ancestralidade européia nos remete a questões interessantes de higiene e saúde , desde o início da evolução científica da medicina ocidental que identificou que o não lavar as mãos era talvez a maior fonte de infecções por ação dos odutores ! Não se lavava as mãos entre uma necrópsia e um atendimento ambulatorial !!! ARGH!!!
Pois bem , na questão da queda das vendas de sabontetes no Brasil de 2011 a 2012 e na questão de marketing de consumo entender e explicar as flutuações inesperadas em país tropial e de hábitos consagrados de banhos revigorantes , desde os tempos do banhos nos rios , vemos na ma´teria citada a surpresa , que não é surpresa , ao emnos para os observadores : ” A média do brasileiro é de lavar as mãos duas vezes ao dia, quando o ideal é de pelo menos cinco vezes !!” segundo Adriana Castro , diretora de marketing de sabonetes da Unilever .
Mas sejamos justos , com 2 a 3 banhos e maus duas lavadas de mão atingimos a média ideal diria qualquer um mais atento ?!
Bom seria ! Mas o fato é que aí está provavelmente a questão ! Consideramos o banho uma lavada de mão ! Ou seja , depois do banho e mais as 2 lvadas médias , mesmo ao ir ao banhiero não precisamos mais lavar as mãos !
Nos tempos antigos , além da educação familiar , tínhamos nas escolas fundamentais o cuidado do ensino de habitos básicos de higiene. isto aos poucos , com saneamento básico onde houve , antibióticos cada vez mais potentes e algumas melhoria na rede de atendimento tipo SUS , nossa mortalidade infantil caiu para nivel civilizados portanto não precisamos mais de educar nossos concidadãoes de lavar as maõs depois de ir ao banhiroe e fazer xixi é um hábito correto e não é desperdício de água ! Sim há um estudo muito interessante que prova que fazer xixi durante o banho economiza muita água e ñão deixa de ser uma hábito higiênico ! Pelo menos as mãos estarão realmente lavadas no banho e valeu por uma vez da estatística !!!
Preste atenção quando for a algum evento , ao teatro , ao cinema ,no banheiro do trabalho e em especial nos banheiros das escolas públicas ou privadas, no banheiro da parada estratégica de uma viagem e veja se consegue identificar quem saiu sem lavar as mãos !! Homens ou mulheres , de todas as idades , mais de 30 % certamente.
Ainda falta muito para sermos mais do que emergentes !
Abraços
Marcos

 
Deixe um comentário

Publicado por em 11/11/2012 em Geral

 

Tags: ,

Fecha-se um ciclo e abre-se outro !

Caros leitores e amigos,

A ausência desta mídia teve uma justificativa : a concentração absoluta em um período de transição especial e peculiar como tantas coisas que aprendi no Family Business nestes 4 anos e 3 meses de Jacto . Minha consideração e reconhecimento ao Grupo Uji , a Família Nishimura e tantos bons colegas e amigos de trabalho. Uma equipe fantásica que me fez crescer como gerente e líder de pessoas , como me realizou demonstrando crescimento e amadurecimento fantástico. Os gestores que pude orientar e ajudar como Coach e Menthor , minha gratidão pela oportunidade.

O fechamento de ciclo não rompe relações , nem amizades ou coleguismo . Simplesmente abre a possibilidade do relacionamento de longo prazo sempre suportado pela comunicação e pela confiança . Onde nossas falhas houver o perdão sincero  sempre resolve .
O ciclo da Jacto foi fechado com muito cuidado e consideração e teve como grande sponsor Jorge Nishimura , o CEO , Presidente do Conselho e grande integrador de um grupo tão grande e complexo de tantas operações e tantos mercados. Meus votos de continuo sucesso e crescimento auto sustentado em busca de uma excelência que não é utopica mas possível e provável. Que a transição tão esperada e de tantas esperanças para a organização , com a entrada da 3a Geração , seja harmonica mas trasnformadora para os desafios da 2a e 3a décadas deste século.

Saio feliz porque é quase unânime a percepção de que o Grupo hoje é diferente porque evoluído desde minha chagada em março de 2008 . Feliz e realizado ! MAs como alguns gerentes me confirmaram , para minha satisfação e consciência de mudança , eu tambem não sou o mesmo , mas um pouco melhor do que era quando aqui cheguei.
O novo ciclo começa em breve, e só fo possível porque estes anos na UJI e Jacto me deram a bagagem e experiência que seriam necessárias para mais um processo de mudança e transição em outras terras, outro Family Business em outro contexto ainda que em cenários semelhantes . Desafio encorajador como executivo, mudanças pessoais e familiares que constroem um novo equilíbrio na vida de cada um de nós 5 e dos próximos que nos cercam.
A Deus toda a Glória e minha gratidão  ! e mais a oração de que o novo ciclo seja mais um ministério de trabalho de bom testemunho e vida sob sua proteção e inspiração !

Sim e tambem , agora , a possibilidade de retomar os posts e compartilhar com todos um pouco mais do que aprendi e observei !

Até breve
Marcos da Cunha Ribeiro

 
3 Comentários

Publicado por em 31/05/2012 em Geral, Pessoal

 

Tags: