RSS

Arquivo da tag: Livre pensar é só pensar ( Millor )

Devemos encarar a dicotomia entre crença e ceticismo como dilema ?

A discussão acima foi motivada e provocada em um grupo de discussões filosóficas na Web. Uma experiência até aqui muito legal !

Resolvi compartilhar no blog uma contribuição que deixei no grupo ainda que o assunto nunca se esgote mas como diria meu amigo Jean Bartoli , estamos filosofando !

Segue :

Crença = algo em que acreditamos por fé religiosa ou por convicção íntima.
Crer está diretamente ligado ao ato de dar crétido ou acreditar. Tem um aval com ou sem reserva . Com ou sem penhora .
Não “creio” que há uma semelhança ou correlação garantida entre crer e conhecer.
Conhecer , ter o conhecimento implica em ter informações multimidia ou muito sensoriais processadas e resignificadas para se tornarem o conhecimento e este é dinâmico portanto , ainda que sobre paradigmas mutáveis , muda a cada momento que por efeito de algum compartilhar deste resignificamos mais uma vez. Daí o Dogma é um perigo pois congela ou cristaliza um paradigma e portanto pode se tornar em crença dado que não mais sustentado pelo conhecimento.
A fé começa onde a razão termina ( kierkgaard)

Mas a fé tem uma belíssima definição cuja origem vem do conhecimento judaíco cristão e está na epístola aos Hebreus cap 11 e verso 1 : A fé é a certeza das coisas que se esperam , a convicção das coisas que se não vêem. ( note a ausencia de uma percepção sensorial humana : não ver ! )
Portanto de forma mais laica poderíamos lembrar que a crença é algo que se torna uma verdade , uma convicção , uma ética , quando nos grupos sociais a partir de valores dizemos que nossa crença é de que o homem é bom por natureza, por exemplo .Nossa crença é de que o ser humano é importante para o desenvolvimento da organização , etc e tal.
Não é só o acreditar porque adquiri ou me aproriei de uma informação ou conhecimento , como de certa forma seria a própria forma racionalista e humanista . está provado cientificamente ? estão acredito. E para estar provado cientificamente tem que estar suportado por experimentos repetidos com o mesmo resultado e com base estatística mínimamente suficiente ? Daí o ceticismo encontra campo justamente nos conhecimentos que se desenvolvem a partir de observações e estudos empíricos .
Por isso de um lado aminetalistas catastrofistas pregando o aquecimento global a partir de ação direta do homem economico e de outro os céticos que não encontram comprovação científica suficiente.
Crente deveria ter como antonimo o não crente . No ambito religioso talvez o ateu ( ainda que ateísmo seja uma crença !!!)
O crédulo ou que acredita fácil , sem malícia é o sentido de antonimo para o cético . Porque o ceticismo como atitude ou maneira de ver as coisas no fundo não aceita que em algum tema ou algum momento o ser humano seja capaz de chegar ao conhecimento total e absoluto sobre o que quer que seja.
Sou crente ou convicto em uma enorme quantidade de coisas que conheço e experimento e sou cético sobre tantas outras que não recomendo a ninguem ser ou um ou outro !!
Quanto ao conhecimento : fujam do conhecimento convencional ( no sentido de Adam Smith em A riqueza das nações).
Abraços
Marcos

 
1 comentário

Publicado por em 21/02/2013 em Filosofia, Geral

 

Tags: ,

Contabilidade Criativa II

Não deixem de ler na Folha de hoje no caderno de mercado a matéria sobre o tema !
Qualquer semelhança nao é mera coincidência e acrescente-se os dados quantificados e as diversas consultorias que estão na luta de manter uma visão realista do cenário.
Também não é mera coincidência a semelhança com os comportamentos e atitudes de governo na Argentina desde o marida da Cristina.
Não mencionarei a Venezuela para não desrespeitar o moribundo !
Boa Sorte Brasil !
ps: Lula procurou Dilma pois está preocupado com o governo PT atual !!! Agora sim podemos dar uma gargalhada !!!

 
1 comentário

Publicado por em 12/01/2013 em Contexto, Economia, Geral

 

Tags: , ,

Os números de 2012 – Muito obrigado aos meus leitores !!! Feliz 2013 !

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2012 deste blog.

Aqui está um resumo:

600 pessoas chegaram ao topo do Monte Everest em 2012. Este blog tem cerca de 2.200 visualizações em 2012. Se cada pessoa que chegou ao topo do Monte Everest visitasse este blog, levaria 4 anos para ter este tanto de visitação.

Clique aqui para ver o relatório completo

– Muito obrigado aos meus leitores!!!!
Marcos

 
Deixe um comentário

Publicado por em 31/12/2012 em Geral, Pessoal

 

Tags:

O TEMPO E A VIRADA DE UM ANO – QUAL O REAL SIGNIFICADO?

Tempus Fugit = o tempo passa e passa correndo.
Cronos = O tempo do homem.
O tempo cronológico. (Já dizia Gilberto Gil, “se oriente rapaz, pela rotação da terra em torno do sol!”). Não passa de um tempo marcado que no fundo diz que temos 24 horas por dia e 365 dias por ano para viver a cada ano. Por isso tão importante instar para Carpe Diem! Basta para cada dia o seu mal! Viva cada dia e não pense no futuro. Será possível uma leitura tão literal? Se não se planeja, se não se tem objetivos, se não se tem visão de longo prazo, não se tem previdência, os riscos aumentam e infelizmente a maior parte dos cidadãos que vivem o “deixe a vida me levar, leva eu.” é infeliz, incompleto, via de regra, não realizado e na maior parte das vezes sem perspectiva de uma retomada, pois todo o seu modo de pensar é no aqui e agora. Por isso nosso país não tem tradição de construir poupança na economia do estado, da família e da pessoa.
Acredite, esta é uma das características do executivo (povo?) brasileiro no que foi verificado na pesquisa de cultura empresarial brasileira coordenada nas linhas do Instituto Hofstede e no Brasil conduzido pelo Instituto de Marketing Industrial.
Os povos orientais sempre foram mais voltados ao longo prazo e um sentido mais profundo da vida e do propósito para o qual cada um de nós, e todos nós, existimos.
Bem, a cultura ocidental nos últimos anos ( décadas) tem exasperado o foco no curto prazo , nos resultados de curto prazo a qualquer custo e por qualquer meio ( o que chamo de modelo anglo saxônico pragmático de gestão de empresas , de comunidades , de vida !)
O que falar agora na virada do ano quando 365 dias já foram e os resultados econômicos financeiros serão publicados e nada mais poderá muda-los (exceto certas manipulações como no caso Enron, que não duvidem, ainda persistem!). {ou não haveria tanta resistência em adotar os modelos contábeis IFRS – no caso do Brasil lei 11638}
O que não falar das decisões já tomadas em 2012 cujas consequências já sentimos ainda em 2012 ou vamos sentir em 2013!(estas de 2013 certamente nem pensamos nelas!)
Tudo isso porque aparentemente tudo passa mais depressa e tudo muda mais depressa. Este depressa é real ou uma percepção!? O fato é que muda e segue mudando. O fato é que tudo passa e segue passando. Que desafio seguir compreendendo este processo sem entrar em pânico! Aceitando que assim é , sempre foi , e sempre será. Somente que ocupamos nossas mentes com tantas mais informações e fatos e boatos, julgamentos e impressões, preconceitos e conceitos, que aparentemente as coisas ocorrem como nunca foram. No Cronos sempre foram, mas em nossa mente e nossa forma de nos adaptarmos ao que hoje é e como é, ainda não conseguimos ver que isso é normal e sempre será ! Quebra de paradigma? Paradigma cronológico colocado em cheque nos tempos atemporais de informações e dados virtuais e sem tempo.
Pense que hoje mesmo, a cada menos de 30 minutos, um país do mundo comemorou o Ano Novo desde antes de acordarmos para o dia 31, e todos eles , nós , pensando que este momento da virada é único , nosso, e de mais ninguém ! 24 horas de passagem de ano para todo o planeta.
Andeia , andeia , que o tempo, sem tempo não pode parar !! ( disse em poesia Daniel V da Silva!)
O pior é que é mesmo! Não depende o Cronos e do tempo e da orbita da terra em torno do sol! Depende de não nos conformarmos com este tempo, mas nos transformando com a renovação de nossas mentes!! ( Paulo Apóstolo!)
Kairós = o tempo de Deus! (Já dizia Caetano Velos em sua oração ao tempo, que era para a música um deus, “és um senhor tão bonito quanto a cara do meu filho..).
O tempo da visão poética de Caetano é um deus! Como se ele fosse realmente criador, dominador, cuidador e sustentador de tudo no universo!
No contexto da discussão de hoje, vésperas do Ano Novo de 2012 para 2013 colocam o tema de Kairós para o contraponto do Cronos.
O Kairós é facilmente assimilável e compreensível na nossa visão quando nos conformamos que não temos domínio sobre o tempo e que deus o criador Onipresente, Onipotente e Onisciente tem seu próprio tempo e este é diferente do tempo do Homem.
Como poderia ser. se o Cronos é criação do mesmo Deus? Oras, conforta saber que se contamos os dias para nossas vinganças e ela não vem, quando então aprece que veio é porque Deus conta seu tempo diferente do nosso. Ou seria porque contamos os dias para a consagração da esperança humana de uma vida eterna que não virá conforme escrito nas linhas gregas ou hebraicas do VT ou NT porque ninguém sabe o dia? Nem milenistas, nem Amilenistas ou pré-milenistas. Todos de alguma forma frustrados porque não acreditam que nem o Filho do Homem sabe o dia que virá, como de surpresa vem o ladrão na noite? Ou será que vem individualmente no momento da morte tão aterrorizante até hoje para o ser humano?
Será o sentido de Kairós o tempo de Deus para conforto do Homem?
Acho que é tempo de considerarmos um tempo novo e diferente.
O Kairós de Deus é sim resultado de sua criação maior. É o tempo que o Homem ainda vai sofrer para entender. É o tempo sem tempo. É eterno enquanto dure. É o significado real das sabedorias que aprendemos de criança:
Para Deus mil anos são como um dia e um dia são como mil anos! ( pobre de nós Cronológicos!)
Ensina-nos a contas os nossos dias para que alcancemos coração sábio! (mas queremos aprender mesmo?)
Quanto do tempo interfere em nossa percepção afetiva de fatos do passado em nossa memória? Ou das lembranças de nossos queridos que se foram? Ao longo do tempo não interfere e não deve interferir, pois é parte da eternidade de cada um deles ou daqueles momentos em nossa finitude temporária.
Sejamos mais Kairós na nossa visão de tempo para que o Cronos seja nosso aliado e não nosso inimigo!
Demos tempo ao tempo!

Feliz Ano Novo!!!! Cronos na contagem, mas Kairós na percepção e emoção!

Marcos C Ribeiro

 
2 Comentários

Publicado por em 31/12/2012 em Filosofia, Geral

 

Tags: , ,