RSS

Arquivo da tag: Religião

Reflexões de Final de ano !

Reflexão de final de ano ! Mais uma !

É comum dizerem que a vida é feita de escolhas. E destas há que se responsabilizar pelas suas consequências. Isso é uma verdade , mas não completa . Ainda assim cabe sempre a possibilidade de nos arrependermos das escolhas feitas , em algum tempo , e até nos arrependermos de escolhas feitas no futuro , porque ainda não vimos motivos de arrependimento ! O fato é que o arrependimento amplia a possibilidade do perdão e o perdão amplia a possibilidade da reaproximação , reconciliação, renovação, e outras formas de ressurreição . Sim nascer de novo !
A questão então então é como lidar com escolhas feitas pelos outros , das quais não participamos e nem fomos , digamos , envolvidos no processo da decisão e da escolha, mas que nos afetam , nos trazem consequências diretas e indiretas . Não nos dá o direito de mudar as escolhas, nem de não aceitá-las , porque estão feitas e se tornaram fatos.
Creio que este ponto é uma complexidade significativa da vida de cada um e não tem sido tratada devidamente porque estamos no tempo da individualidade , do direito das escolhas e assim do direito de uma parcela da liberdade. Aquele limite da minha liberdade que impõe considerar o outro não está sendo lembrada. Em parte alguma do mundo , da sociedade e das suas células mais ínfimas.
Não me isento do processo mas por agora me imponho a reflexão. Sofro com algumas escolhas feitas pelos outros que me afetam e nada posso fazer mas somente me conformar e conviver com elas . Faço sofrer aos outros por escolhas que fiz, não talvez , mas certamente por não ter levado nada disso em consideração.
Sim , a vida é feita de escolhas , e todas elas trazem e trarão alguma consequência. Ainda assim penso que o exercício da misericórdia , e do perdão serão sempre a unica solução para todas as consequências desagradáveis e não pensadas. Por isso a misericórdia é um dom divino e o perdão o exercício de nós exigido em qualquer tempo e em “quase” qualquer religião.
Sim , a vida é feita de escolhas e cada vez escolhas mais complexas .
Feliz Ano Novo !

Anúncios
 
1 comentário

Publicado por em 23/12/2017 em Filosofia, Geral

 

Tags: ,

TUDO NESTE MUNDO TEM SEU TEMPO ! TEMPO DE NATAL E TEMPO DE ANO NOVO !

Há alguns anos,  escolhi o texto de Eclesiastes capitulo 3 para falar a toda a equipe de Vendas Brasil, num evento histórico , em Angra dos Reis,  cujo nome foi Quarup. Neste evento um TEAL memorável de uma Escola de Samba com enredo e tudo . Procurei e não encontrei as notas de tal evento. Uma pena!  Não vou conseguir lembrar mas o cerne da mensagem é tão eterna quanto o texto dos sábios judeus, de antes de Cristo, já falaram :

Tudo neste mundo tem seu tempo; cada coisa tem sua ocasião. Há tempo de nascer e tempo de morrer; Tempo de plantar e tempo de arrancar; ….tempo de ficar triste e tempo de alegrar; …tempo de abraçar e tempo de afastar; ..tempo de ficar calado e tempo de falar; tempo de amar e tempo de odiar; …O que a pessoa ganha com todo o seu trabalho?; Eu tenho visto  todo o trabalho que Deus dá as pessoas para que fiquem ocupadas; …porem não nos deixe compreender completamente o que Ele faz; Então entendi que nesta vida tudo o que a pessoa pode fazer é tentar ser feliz e viver o melhor que puder. Todos nós devemos comer e beber e aproveitar bem aquilo que ganhamos com nosso trabalho. Isso é um presente de Deus.

Este foi o texto com que começamos a conversar sobre o final de uma no difícil, mas com vitórias e que se o ano que se avizinhava era temeroso e preocupante, também deveríamos coloca-lo no seu devido tempo.

Pois bem, em um texto recente que meu pai escreveu sobre o Natal ele considerou também que cada ocasião tem suas coisas e cada coisa tem sua ocasião para lembrar o Natal em seu contexto de nossas reflexões de hoje. (espero sinceramente que ainda tenhamos tempo para estas reflexões!). Fiz imediata ligação com Eclesiastes 3 . !

Mas até hoje eu estava meio travado e sem nenhuma inspiração para compartilhar algo sobre o Natal e o Ano Novo.

Pensei de novo no tema do nosso Quarup de 2006? Ou terá sido 2005? Ou mesmo 2003? O tempo Cronos não importa muito agora porque falar de Natal e falar de um Novo Ano a cada Ano é transcendente, metafísico! Espiritual! Eterno! Kairós!!!

Veio a nova aliança com a humanidade! Se é nova é porque a velha teve algum problema. Sim teve seus problemas. A humanidade era mais ampla, desde então, e não se mantinha circunscrita, mais,  na Mesopotâmia. Pelo menos isso. E já é bastante!

Mas veio a Nova Aliança e nesta o nascimento de um pequeno palestino, verdadeira Homem e verdadeiramente Deus. Que paradoxo?! Sim o Filho do Homem habitou entre nós e fez de todas as velhas coisas ultrapassadas e novas de imediato. Amor ao Próximo, a Verdade que Liberta, o perdão como essência da convivência, e no fim um grande inimigo, feito amigo, disse: no fim permanecem a Fé, a esperança e o Amor, porém o maior destes é o Amor . Porque Deus é Amor! Amor é essencial. Mas Deus é eterno, seu tempo é Kairós, o Amor é eterno e não somente enquanto dure! Duro é o nosso coração, este mesmo Deus feito homem, Jesus disse a respeito do desamor ou do rompimento deste amor. Isso ´so existia por conta da dureza de nossos corações! Evangelho de João capitulo 1, versos 1 e 14 , para hoje!

Mas se o Amor é eterno porque Deus é amor e Deus é eterno, então devemos saber porque o maior deste é o Amor ! Porque o Natal é Amor! e porque o Amor é o começo e o fim , o Alfa e o Ômega!

Porque se a Fé nos move a cada dia desde as promessas a Abraão, a primeira Aliança, com a segunda aliança, o Deus encarnado, o Emanuel, temos a esperança de que todas as promessas seculares podem ser possíveis. Pela Fé acreditamos, na Esperança esperamos. Evangelho de João capitulo 5 e versos de 24 a 26 e depois Carta Aos Coríntios 13.

E, portanto como fica isso no tempo? No Cronos só podemos entender a passagem pela morte de nosso ser como conhecemos. Carne, osso e líquidos! Do pó ao pó, como nos enterros dos filmes de Far West!

Sim, nos tempos modernos, virtuais, cibernéticos, cósmicos, quânticos, o eterno é que prevalece! Pelo Amor incondicional, promessa feita e até onde sabemos, enquanto vivos nesta terra. Cumprida! Não importa a forma! Se onda ou se partícula! Se na dimensão d tempo e espaço conhecidas ou se não dimensão da relatividade completa! Importa que a eternidade quer dizer no senso de nossa alma , de nosso espírito, a imortalidade !

Natal, portanto é o início da percepção da imortalidade! Da Eternidade! Do Amor eterno!

Se assim é , a cada ano que completamos em nossas labutas, só podemos entender que nossas realizações e nossas frustrações são tão efêmeras quanto são nossas vidas na dimensão da Eternidade.

Assim sendo que o Novo Ano seja leve, completo, realizante e realizador para sua vida e para tudo que há ao seu redor. Que o próximo perceba isso! Que seus queridos percebam isso! Que seus colegas de trabalho percebam isso!

Natal e Ano Novo tem seu tempo! O tempo é de esperança e Amor! Natal é Amor e Ano Novo a esperança renovada a cada ano !

Há tempo para Natal e para cada Novo Ano, há tempo para Cristo em nossas vidas, há tempo para termos tempo na esperança de nossa eternidade!

“Se você tem ouvidos para ouvir, então ouçam!”

Feliz Natal e um próspero Ano Novo! Até nossa eternidade!

Marcos da Cunha Ribeiro

Dezembro de 2013

 
2 Comentários

Publicado por em 24/12/2013 em Filosofia, Geral, Pessoal

 

Tags: , ,

O TEMPO E A VIRADA DE UM ANO – QUAL O REAL SIGNIFICADO?

Tempus Fugit = o tempo passa e passa correndo.
Cronos = O tempo do homem.
O tempo cronológico. (Já dizia Gilberto Gil, “se oriente rapaz, pela rotação da terra em torno do sol!”). Não passa de um tempo marcado que no fundo diz que temos 24 horas por dia e 365 dias por ano para viver a cada ano. Por isso tão importante instar para Carpe Diem! Basta para cada dia o seu mal! Viva cada dia e não pense no futuro. Será possível uma leitura tão literal? Se não se planeja, se não se tem objetivos, se não se tem visão de longo prazo, não se tem previdência, os riscos aumentam e infelizmente a maior parte dos cidadãos que vivem o “deixe a vida me levar, leva eu.” é infeliz, incompleto, via de regra, não realizado e na maior parte das vezes sem perspectiva de uma retomada, pois todo o seu modo de pensar é no aqui e agora. Por isso nosso país não tem tradição de construir poupança na economia do estado, da família e da pessoa.
Acredite, esta é uma das características do executivo (povo?) brasileiro no que foi verificado na pesquisa de cultura empresarial brasileira coordenada nas linhas do Instituto Hofstede e no Brasil conduzido pelo Instituto de Marketing Industrial.
Os povos orientais sempre foram mais voltados ao longo prazo e um sentido mais profundo da vida e do propósito para o qual cada um de nós, e todos nós, existimos.
Bem, a cultura ocidental nos últimos anos ( décadas) tem exasperado o foco no curto prazo , nos resultados de curto prazo a qualquer custo e por qualquer meio ( o que chamo de modelo anglo saxônico pragmático de gestão de empresas , de comunidades , de vida !)
O que falar agora na virada do ano quando 365 dias já foram e os resultados econômicos financeiros serão publicados e nada mais poderá muda-los (exceto certas manipulações como no caso Enron, que não duvidem, ainda persistem!). {ou não haveria tanta resistência em adotar os modelos contábeis IFRS – no caso do Brasil lei 11638}
O que não falar das decisões já tomadas em 2012 cujas consequências já sentimos ainda em 2012 ou vamos sentir em 2013!(estas de 2013 certamente nem pensamos nelas!)
Tudo isso porque aparentemente tudo passa mais depressa e tudo muda mais depressa. Este depressa é real ou uma percepção!? O fato é que muda e segue mudando. O fato é que tudo passa e segue passando. Que desafio seguir compreendendo este processo sem entrar em pânico! Aceitando que assim é , sempre foi , e sempre será. Somente que ocupamos nossas mentes com tantas mais informações e fatos e boatos, julgamentos e impressões, preconceitos e conceitos, que aparentemente as coisas ocorrem como nunca foram. No Cronos sempre foram, mas em nossa mente e nossa forma de nos adaptarmos ao que hoje é e como é, ainda não conseguimos ver que isso é normal e sempre será ! Quebra de paradigma? Paradigma cronológico colocado em cheque nos tempos atemporais de informações e dados virtuais e sem tempo.
Pense que hoje mesmo, a cada menos de 30 minutos, um país do mundo comemorou o Ano Novo desde antes de acordarmos para o dia 31, e todos eles , nós , pensando que este momento da virada é único , nosso, e de mais ninguém ! 24 horas de passagem de ano para todo o planeta.
Andeia , andeia , que o tempo, sem tempo não pode parar !! ( disse em poesia Daniel V da Silva!)
O pior é que é mesmo! Não depende o Cronos e do tempo e da orbita da terra em torno do sol! Depende de não nos conformarmos com este tempo, mas nos transformando com a renovação de nossas mentes!! ( Paulo Apóstolo!)
Kairós = o tempo de Deus! (Já dizia Caetano Velos em sua oração ao tempo, que era para a música um deus, “és um senhor tão bonito quanto a cara do meu filho..).
O tempo da visão poética de Caetano é um deus! Como se ele fosse realmente criador, dominador, cuidador e sustentador de tudo no universo!
No contexto da discussão de hoje, vésperas do Ano Novo de 2012 para 2013 colocam o tema de Kairós para o contraponto do Cronos.
O Kairós é facilmente assimilável e compreensível na nossa visão quando nos conformamos que não temos domínio sobre o tempo e que deus o criador Onipresente, Onipotente e Onisciente tem seu próprio tempo e este é diferente do tempo do Homem.
Como poderia ser. se o Cronos é criação do mesmo Deus? Oras, conforta saber que se contamos os dias para nossas vinganças e ela não vem, quando então aprece que veio é porque Deus conta seu tempo diferente do nosso. Ou seria porque contamos os dias para a consagração da esperança humana de uma vida eterna que não virá conforme escrito nas linhas gregas ou hebraicas do VT ou NT porque ninguém sabe o dia? Nem milenistas, nem Amilenistas ou pré-milenistas. Todos de alguma forma frustrados porque não acreditam que nem o Filho do Homem sabe o dia que virá, como de surpresa vem o ladrão na noite? Ou será que vem individualmente no momento da morte tão aterrorizante até hoje para o ser humano?
Será o sentido de Kairós o tempo de Deus para conforto do Homem?
Acho que é tempo de considerarmos um tempo novo e diferente.
O Kairós de Deus é sim resultado de sua criação maior. É o tempo que o Homem ainda vai sofrer para entender. É o tempo sem tempo. É eterno enquanto dure. É o significado real das sabedorias que aprendemos de criança:
Para Deus mil anos são como um dia e um dia são como mil anos! ( pobre de nós Cronológicos!)
Ensina-nos a contas os nossos dias para que alcancemos coração sábio! (mas queremos aprender mesmo?)
Quanto do tempo interfere em nossa percepção afetiva de fatos do passado em nossa memória? Ou das lembranças de nossos queridos que se foram? Ao longo do tempo não interfere e não deve interferir, pois é parte da eternidade de cada um deles ou daqueles momentos em nossa finitude temporária.
Sejamos mais Kairós na nossa visão de tempo para que o Cronos seja nosso aliado e não nosso inimigo!
Demos tempo ao tempo!

Feliz Ano Novo!!!! Cronos na contagem, mas Kairós na percepção e emoção!

Marcos C Ribeiro

 
2 Comentários

Publicado por em 31/12/2012 em Filosofia, Geral

 

Tags: , ,

Pequenos Estudos Comunitários – O Perdão

Pequenos Estudos Comunitários O Perdão ago 2010

O tema do perdao sempre me foi muito caro. Primeiro porque é a essência do amor cristão. Depois porque sem ele não há resgate , seja de nós mesmos , seja do nosso próximo , por nõs e por eles mesmos.
O perdão eime a culpa que sufoca.
O Perdão recompõe a comunicação e a confiança portanto o relacionamento.
Este pequeno estudo , no anexo acima , tem um complemento no estudo de relacionamento , e vice e versa.
Não é tema exclusivamente religioso. No trabalho e no ambiente social a capacidade de perdoar tem sido pouco explorada em prejuízo de melhores condições de convivência , de civilidade , de respeito e de produtividade pelo sentimento de pertencer que o perdão permite.
Bom proveito !
Marcos C Ribeiro

 
2 Comentários

Publicado por em 18/11/2012 em Contexto, Filosofia

 

Tags: , ,

Lealdade e Fidelidade no Religioso – Uma discussão contemporânea

Lealdade e Fidelidade no Religioso

Foi em 2010 na Escola dominical da Igreja Presbiteriana do Butantã , classe Logus , cuja motivação derivou de discussões em aulas anteriores sobre a Fidelidade do homem em relação á Deus e a Fidelidade de Deus em relação ao Homem com base no verso bíblico que tantos parabrisas de automóveis e parachoques de caminhões espelham : ” Deus é Fiel !” mas colocada a discussão sobre o contexto contemporâmeo onde o termo fidelidade está tão ligado a promoções de atração e retenção de consumidores ( cartões de crédito , milhas aéras e tantos outros ) com a mesma base filosófica que se discute no Marketing Industrial , e se questiona , que Fidelidade não é o melhor termo para se tratar o cliente , a pessoa humana chamada de consumidor mas a lealdade como reflexo de escolhas e de percepções claras onde existem identidade de princípios, valores ,e até de objetivos.
Não é sem querer a comparação , dado que , para muitas as novas denominações evangélicas ( nem tanto protestantes na essência quanto as históricas ) tratam de atrair e fidelizar seus crentes tambem com promessas que em troca se apresentam prosperidades proporcionais aos movimentos de comprovação economico-sociais em contribuições metódicas , sempre na esperança de obter algum tipo de indulgência.
Bom proveito
Marcos

 
2 Comentários

Publicado por em 11/11/2012 em Filosofia, Pessoal

 

Tags: , ,

Uma discussão sobre a 1a Carta de Paulo aos Coríntios – Aula da ED da IPbut em 2008

Aula Coríntios MCR IPBUT 2008

Foi um ano onde vários dos membros da IPBUT se revesaram para que na classe Logus da ED , estudassemos todas as cartas de Paulo do novo testamento da Bíblia Sagrada , na sua versão protestante ( alguns dos livros da versão católica romana não são encontrados na versão protestante e algumas diferenças de tradução podem ser verificadas entre as diversas versões da Bíblia ).
Neste caso a discussão sobre 1a carta de paulo aos Coríntios demandou aproximadamente 4 domingos dada a sua profundidade, atualidade e interesse gerado nas discussões da classe.
Para mim , alem do estudo , do compartilhar de conhecimento , de fé e de amizade com os irmãos , foi mais um tempo de reflexão e aprofundamento do livro e do autor. Cada vez que entendo melhor Paulo e sua linha teológica com grande base filosófica , mais admiro-o como escolhido , apóstolo tardio mas o grande sistematizador primeiro da teologia e da doutrina Cristão depois dos apóstolos escolhidos para o período de apresentação , discussão , sacrifício , morte e ressurreição de Cristo , Filho de Deus !
Abraços e bom proveito

Marcos

 
Deixe um comentário

Publicado por em 11/11/2012 em Filosofia, Pessoal

 

Tags: ,

O Desafio de Viver o Hoje !!

Por isso não fiquem preocupados com o dia de amanhã , pois o dia de amanhã trará as suas próprias preocupações. Para cada dia bastam as suas próprias preocupações.” Mateus 6,34

O texto de Mateus é encontra seu paralelo em Lucas com algumas alterações e, em especial, este versículo, muito repetido como um consolo para todo o cristão, não aparece em Lucas. Seria uma mensagem para os judeus mais do que para os gentios? Acredito que não. A mensagem de fundo e principal é a prioridade das coisas de Deus e todas as outras coisas serão acrescentadas. É a prioridade para as coisas do porvir. De um futuro intangível, mas que a Fé suporta e sustenta.

No texto, as preocupações com as bases da pirâmide de Maslow são evidentes. Preocupação com ter o de comer ou o de vestir. Pressupõe que mesmo na época de Cristo o morar era menos problemático do que ter o de comer e vestir. Bem que o milagre foi de multiplicar os pães e os peixes e não criar um Nossa Casa, Nossa Vida, por exemplo.

Mas o ponto da discussão é exatamente: como não se preocupar com o futuro e com as coisas que teremos pela frente? Ainda mais na época de desejar aos amigos um Feliz Ano Novo, pleno de realizações e muito sucesso, claro que com saúde e sempre sob as bênçãos de Deus!?

Uma frase de Olavo Bilac me chamou a atenção na semana passada:

 

O presente não existe. A vida é o passado e o futuro; vivemos de lembranças e de ambições, entre a saudade e a esperança.”

 

Em resposta a uma conversa de web, recebo outra tão provocante quanto essa e, dessa vez, de Frank Lloyd Wright (Arquiteto famoso nos Estados Unidos):

 

O presente é a sombra que se move separando o Ontem do Amanhã. Nele repousa a Esperança.”

Mas daí, surge um texto de 2002 que minha mãe escreveu e guardou para compartilhar exatamente agora, hoje, neste momento (ou foi no minuto que já passou? — ou já seria saudade e lembrança?):

SER

Ignez Pinto Dias Ribeiro

 

Nesta imensurável fração da eternidade

que é o agora,

estou deixando de ser, para me sentir sendo,

entre o eu fui e o eu serei.

 

Se tal não fosse, como explicar,

o que já foi e o que será?

 

É pura energia, ou é a inércia,

que me leva através do ser agora,

neste exato momento em que sou, e

deixo de ser, pelo simples fato de que já era?

 

E por que assim não seria

se, afinal, a vida é uma sucessão

de momentos que já foram,

são e serão,

eternos nos frágeis agora,

enquanto duram?

 

Imediatamente voltei para a reflexão sobre o tempo e a percepção humana, presa ao sistema solar e aos 60 segundos de cada minuto até os 365 dias de cada ano, e que estamos prestes a ver passar o de 2011!

Para Deus mil anos são como um dia e um dia como mil anos?! Veja em Salmo 90,4 ou 2Pedro 3,8.

A perspectiva do tempo depois da relatividade de Einstein, e mais ainda depois da Física Quântica, me parece desafiar-nos para dois pontos muito importantes. Primeiro, evitando a perspectiva de tempo, no tempo de Deus para nossas necessidades, desejos, sonhos, devemos manter nossas vidas e perspectivas abertas à ação do seu Espírito em nossas vidas a fim de que nossas realizações e cada passo dado reflitam que nossa vontade está em sintonia com a vontade de nosso Pai.

Segundo, devemos entender que a mensagem de Cristo priorizou as coisas de Deus, coisas do espírito, coisas da vida plena e que não significa que devemos imaginar que as coisas acontecerão por acaso ou por providência divina a despeito de nossa omissão em sermos os protagonistas de nossas vidas, anseios e desejos humanos e terrenos. Não perca a Fé na Vida eterna mas Ponha o pé no chão.

A palavra esperança sempre teve uma conotação na tradição Cristã de esperar. Mas, na verdade, a esperança não deve ser um substantivo inerte e que nos coloque sempre na espera de que algo aconteça por acaso. Acaso este que, quando dá certo, entendemos imediatamente como providência. A palavra esperança evoca ação, a atitude de esperar algo, fazendo acontecer! Esperançar seria o verbo e não esperar, conforme ouvi uma vez do amigo Arthur Hipólito de Moura.

O Apóstolo Paulo planejava cuidadosamente suas viagens. Trabalhava para obter seu sustento e não depender de doações de seus novos seguidores recém convertidos ao Cristianismo. Por outro lado, de suas viagens sempre trouxe doações e dízimos das Igrejas recém inauguradas para ajudar no sustento da sofrida Igreja de Jerusalém, esta sim uma providência que tinha como protagonistas pessoas com iniciativa, em sintonia e alinhados com os planos de Deus para a sua igreja e para os seus.

Como ficamos no impasse de se devemos pensar — ou não! — no dia de amanhã, quando estamos no momento ritualístico, quase universal, de refletir sobre o que fomos e fizemos em 2011, e planejar, rever objetivos e nos prometer novas atitudes para o ano de 2012?

Bilac nos fala de nos movermos para a frente com ambições e esperanças.

Frank Lloyd nos lembra que a esperança tem valor no agora, no presente, pois no futuro ela se confirmou ou se dissipou para ser renovada em nova esperança de um presente que será!

Ignez propõe que o agora é uma fração da eternidade que não se pode medir. O futuro é parte da eternidade que não se pode antever, mas viver cada fração para chegar lá. Pois daí vem a questão sobre ser energia ou inércia. Pois que seja energia e não inércia.

Pensei, então, que uma mesma idéia reúne os diversos pensamentos listados aqui, e que exprimem a preocupação do agora ser pouco e insuficiente!

Este pouco, pois efêmero, no tempo curto de uma fração de tempo, vai afetar o que será, e mesmo o que será no agora seguinte será uma fração de tempo para pensar e fazer. O processo contínuo de fazer alguma coisa sempre, na direção desse futuro é que pode ser uma alternativa. Alternativa que será se se mantiver a coerência entre contexto, seu entendimento, decisão e ação!!

Portanto, concluo que é preciso transformar a esperança em ação, tomar a decisão e agir para construir o futuro que desejamos, suportados pelo cuidado de Deus para conosco como promessa de cumprimento eterno, e fazer do agora o ponto de partida para o novo sempre!

Feliz Ano Novo!!

Marcos da Cunha Ribeiro

Agradeço a revisão do Editor e Pastor Marcelo Smargiasse !

 
2 Comentários

Publicado por em 30/12/2011 em Filosofia

 

Tags: ,